Empresaria Luciane Vaz fala sobre emponderamento feminino Dia Internacional da Mulher - Revista Hover


Luciane explica com propriedade sobre  7 Princípios de Empoderamento das Mulheres

O Dia Internacional da Mulher é também marcado pela luta e debate acerca do respeito e igualdade de gênero nas atividades sociais e profissionais. Pensando nisso, a ONU Mulheres e o Pacto Global criaram os Princípios de Empoderamento das Mulheres. Os Princípios são um conjunto de considerações que ajudam a comunidade empresarial a incorporar em seus negócios valores e práticas que visem à equidade de gênero e ao empoderamento de mulheres. Conheça quais são:



**1. Liderança Corporativa Consciente**

“No ápice da estrutura organizacional, o comprometimento com a igualdade deve ser palpável,” assegura Luciane. Para isso, ela exemplifica com a criação de comitês de diversidade, dirigidos por líderes que se dedicam a revisar e implementar práticas que favoreçam a equidade.

**2. Justiça e Igualdade no Trabalho**

Luciane enfatiza a importância de um ambiente onde todos são tratados com respeito, citando iniciativas como auditorias regulares das políticas de RH para erradicar práticas discriminatórias e a promoção de uma cultura inclusiva na contratação e remuneração.

**3. Saúde, Segurança e Bem-estar**

“A proteção do bem-estar não conhece gênero,” afirma ela. A empresária menciona programas que focam em saúde mental e física, flexibilidade de horários e apoio em casos de assédio ou abuso.

**4. Educação para a Ascensão Feminina**

Luciane ressalta que oportunidades de capacitação estimulam a ascensão profissional feminina. Ela cita parcerias com instituições educacionais e programas de mentorias destinados a mulheres, visando diminuir o gap de gênero em posições de liderança.

**5. Suporte ao Empreendedorismo Feminino**

Vaz destaca como práticas como a destinação de recursos para negócios liderados por mulheres e a inclusão destas em cadeias de suprimentos se mostram eficazes no empoderamento empresarial feminino.

**6. Igualdade de Gênero na Comunidade**

“Empresas não existem em vácuos,” aponta Luciane, que valoriza iniciativas que promovam a igualdade de gênero fora das paredes corporativas. Como exemplo, ela cita programas de alfabetização para mulheres em comunidades carentes e apoio a entidades que lutam pelos direitos femininos.

**7. Transparência e Prestação de Contas**

Por fim, Luciane frisa a necessidade de medir e divulgar o progresso em igualdade. Relatórios periódicos de diversidade não somente mostram transparência, mas também incentivam a continuidade e melhoria das políticas implementadas.

Luciane Vaz finaliza com uma reflexão sobre o papel fundamental das empresas como agentes de mudança social, pontuando que os 7 Princípios são um caminho para que a igualdade de gênero seja uma realidade consolidada.

Share.