Vai alugar ou desocupar um imóvel? Confira as dicas para não ter problemas com a imobiliária - Revista Hover

Especialista da Descomplique Assessoria Locatária explica por que acontecem tantos desentendimentos durante os processos de locação ou devolução de imóveis e dá dicas valiosas para evitar problemas nestas situações; 

O mercado de aluguel de imóveis não parou de crescer e de acordo com as últimas informações da Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2023, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2022, 64,6% da população brasileira vivia em domicílios próprios e já pagos, no entanto, esse percentual vem caindo desde 2016. Por outro lado, nos últimos seis anos, a parcela da população que mora em imóveis alugados cresceu quase 3%. Também em 2022, aproximadamente 20% da população morava em residências alugadas.

Esse fenômeno, segundo Thiago Oliveira especialista em mercado imobiliário da Descomplique Assessoria Locatária, esse fenômeno vem acontecendo por diferentes motivos, entre eles: uma mudança de comportamento da população, que passou a preferir moradias mais flexíveis, que sejam adaptáveis a rotina dinâmica atual, mais mobilidade profissional e a crescente conscientização sobre a flexibilidade oferecida pelo aluguel.

Outros pontos que o especialista destaca como vantagens para o inquilino são a possibilidade do inquilino escolher onde quer morar, levando em conta, por exemplo, sua renda, suas necessidades ou seu estilo de vida; menos investimento financeiro comparado a compra de um imóvel, o que faz do aluguel uma opção mais acessível para diferentes pessoas e também a diminuição com gastos de manutenção do imóvel, pois, ao alugar um espaço, seja ele residencial ou comercial, geralmente, a responsabilidade pela manutenção e reparos significativos recai sobre o locador, proporcionando aos inquilinos uma maior tranquilidade.

No entanto, a relação entre inquilino e locatário nem sempre é amistosa e na lista dos principais problemas enfrentados pelas partes, um dos itens mais citados está ligado à entrega do imóvel no final de um contrato.

“Quem já passou pela experiência do aluguel sabe que existem normas rígidas na entrega do imóvel ao proprietário e nem sempre o inquilino consegue cumprir esses requisitos. Por exemplo, o que mais atendemos são conflitos por conta do estado de conservação do imóvel na hora da devolução, que deve corresponder ao apresentado na ocasião em que foi alugado e nem sempre isso acontece”, afirma Thiago Oliveira.

O fundador da Descomplique ressalta que dentro desse contexto, um dos itens mais exigidos pelos locatários é a pintura, sendo quase que obrigatório que o inquilino entregue o espaço devidamente limpo e pintado.

“Outros itens podem ser exigidos pelo proprietário para a entrega do imóvel, por isso, é necessário que o inquilino esteja atento às regras acordadas inicialmente e, para evitar conflitos, sempre recomendamos que todas as informações da contratação estejam discriminadas no contrato de locação e tudo devidamente registrado no termo de vistoria”, destaca.

Confira abaixo outras dicas do Thiago, da Descomplique Assessoria Locatária, para não ter problemas na hora de encerrar um contrato de locação e entregar seu imóvel.

1 – Muita atenção na primeira visita ao imóvel

É importante levar em consideração sua primeira impressão sobre o espaço, você precisa se sentir em casa. Uma avaliação criteriosa da estrutura também é vital, como se atentar às condições da parte elétrica e hidráulica. Dessa forma, é possível minimizar as chances de uma surpresa desagradável.

“O imóvel deve atender as necessidades da pessoa e o momento de vida que ela se encontra. São detalhes, como ter o número certo de quartos, estar perto do trabalho ou da família, ter bom acesso a transporte público e a outros serviços, são pontos fundamentais, mesmo que nem sempre esses pontos possam ser cobertos em sua totalidade”,  explica Thiago.

2 – Vistoria minuciosa

Uma boa dica é fotografar tudo e guardar o material com você, para que sirva como uma prova, caso necessário.

Preste atenção em furos na parede, riscos no piso, problemas de pintura e qualquer outro problema com o imóvel. E identificando qualquer irregularidade que está divergente a vistoria de entrada, o especialista da Descomplique orienta que o locatário faça uma contestação, e encaminhe para a imobiliária, esse procedimento evita com que o locatário arque  com qualquer responsabilidade de  irregularidades já existente no imovel.

É válido também ter o auxílio de uma empresa especialista para que essa vistoria seja assertiva. Na entrada, essa iniciativa serve para registrar como o imóvel está naquele momento. Já na saída, a vistoria é para checar se tudo está como no começo, o que garante que o imóvel vai ser devolvido para o proprietário exatamente nas condições que estava quando foi alugado.

3 – E se precisar de obras?

Neste ponto o especialista explica que o melhor é ter uma boa conversa com o proprietário.

“Nos casos de imóveis que precisam de algum tipo de obra de melhoria, indicamos que o proprietário e o inquilino combinem como elas serão feitas e a maneira como os valores gastos serão recuperados. Tem casos em que o inquilino pode pagar a reforma e abater o valor no aluguel e temos situações que o proprietário arca com as despesas”, Thiago Oliveira.

4 – Pintura

“Outra coisa que também deve ser observado e bem especificado na vistoria é o estado da pintura do imóvel, em média, 80% dos imóveis necessitam de pintura”, pontua o especialista da Descomplique Assessoria Locatária.

Como o imóvel precisa ser devolvido ao proprietário nas mesmas condições entregues ao inquilino, no documento de vistoria deve destacar todos os detalhes da pintura, da cor até o tipo de tinta utilizado e os locais onde precisou realizar uma nova aplicação de tinta.

5 – Paredes e teto

Observe as paredes e o teto do local para verificar a existência de rachaduras, manchas ou mofo. Rachaduras podem ser sinais de problemas estruturais do imóvel, por isso, vale ficar atento e o mofo, ocorre por excesso de umidade, que também pode causar problemas futuros.

6 –  Instalações hidráulicas

Outro aspecto importante para verificação é a parte hidráulica, que abrange torneiras, descargas, chuveiros e registro. Tudo deve ser testado na visita da vistoria!

“É importante também verificar se não existem vazamentos de água”, alerta.

7- Pisos, revestimentos e rejuntes

Confira o estado de conservação dos pisos, revestimentos e rejuntes de todos os cômodos.

Share.