Rodrigo Soeiro lança “Clássicos”, uma coletânea de hinos eternos em ritmo de Jazz - Revista Hover

Num clima intimista, o cantor Rodrigo Soeiro fez o lançamento do seu novo trabalho “Clássicos”, na última sexta-feira (1º de março), em São
Paulo.

O auditório do Conservatório Souza Lima, do Paraíso, foi o palco do pocket show, onde o pastor líder da ADAI apresentou 6 dos 11 louvores eternos que compõem o seu novo álbum.

A apresentação teve início com “Solta o cabo da nau”, que agitou os 70 convidados. A plateia eclética mesclou pastores de cabelos brancos, jovens apaixonados pelos clássicos e até crianças.

Entre os pastores, líderes denominacionais, imprensa e empresários do cenário da musica Gospel presentes, destacaram-se nomes como Ricardo Carreras, dono da gravadora e distribuidora Musile e Marcelinho Machado, CEO da MM7 Comunica e MM7 Music.

“Ter participado desse projeto, ainda que como ouvinte, foi importante pra mim. ‘Clássicos’ traz uma versão sofisticada das músicas que minha geração esqueceu. A beleza e inovação dos arranjos, ainda que num ritmo antigo, que é o jazz, traz algo grandioso juntamente com a pureza das letras, que nós temos como riqueza na harpa cristã. Para mim, como cantora e como quem cresceu em meio às músicas esquecidas, foi emocionante”, avalia Beatriz Amâncio, estudante de Direito, de 20 anos.

Segundo Soeiro, a ideia de gravar hinos que levaram as igrejas à adoração em décadas passadas surgiu quando seu avô, Pastor João Paulo Bento de Souza, hoje já falecido, manifestou o desejo de registrar três de seus louvores favoritos no estúdio de gravação do neto. “Meu avô tinha a voz grave e cantava o tempo todo. Aprendi a gostar desses hinos com ele”, conta.

O projeto passou a tomar forma durante a pandemia, quando o cantor escalou o seu amigo saxofonista Esdras Gallo para a direção musical. Aos dois, se juntaram o pianista Mário César e o Ronaldo de Oliveira (baixo) responsáveis pelos arranjos. A banda é composta ainda por grandes nomes do gospel como Vítor Cabral (bateria), Edmílson Gomes (trompete), Fernando Ferreira (trombone) e o guitarrista Éder Queiroz. As gravações aconteceram dia 27 de outubro de 2023, na Igreja Presbiteriana, Jardim das Oliveiras, no coração de São Paulo.

Os hinos receberam uma nova roupagem, no ritmo do jazz, e, nas letras, certos termos originais foram substituídos por expressões contemporâneas, tudo para que os clássicos alcançassem também o público mais jovem.

Depois de entoar “Confia em Deus”, a preferida do cantor; “Chuva de graça”, “Quão bondoso amigo é Cristo” e “Se isso não for amor”, Rodrigo Soeiro abriu espaço para perguntas da plateia, transformando o evento num bate papo descontraído. Nesse momento, ficou claro que novas edições de “Clássicos” são uma possibilidade concreta. Afinal, a seleção de apenas 11 entre os 40 hinos escolhidos não foi uma tarefa fácil. “A proposta é criar um legado com essas músicas atemporais, que trazem verdades tão profundas de forma tão simples”.

O show foi encerrado com “Face a adorada” e os convidados saíram do auditório do Conservatório Souza Lima com gosto de quero mais. Ao final, o cantor distribuiu autógrafos em seu livro “Nobre, Urgente & Eterno”, lançado dia 05 de novembro de 2023 e atendeu pacientemente os fãs.

“Clássicos” estará disponível, no Youtube, a partir do dia 04 de Abril. Todos os convidados para o lançamento ganharam acesso antecipado a três músicas, como presente.

Segue o link: https://www.rodrigosoeiro.com.br/presente

Share.