Cirurgias negadas: o dilema de pacientes com dores na coluna - Revista Hover

De acordo com Rodolfo Damasceno, especialista em estratégias de autorizações cirúrgicas, é possível proporcionar alívio e esperança para aqueles que enfrentam esses problemas

As dores na coluna representam um desafio para milhões de pessoas em todo o mundo. Para alguns, a dor é tão debilitante que interfere drasticamente na qualidade de vida, exigindo intervenções médicas e cirurgias. No entanto, muitos pacientes se veem diante de um obstáculo ainda maior quando seus convênios médicos negam a cobertura para os procedimentos necessários.

A recusa pode deixar os pacientes em uma situação desesperadora, presos em um ciclo de dor constante e limitações físicas.

De acordo com Rodolfo Damasceno, especialista em estratégias de autorizações cirúrgicas, a qualidade de vida desses pacientes é profundamente afetada, com dificuldades para realizar tarefas cotidianas, participar de atividades sociais e até mesmo manter o emprego. “As consequências psicológicas também são significativas, com muitos pacientes enfrentando ansiedade, depressão, além de impactos diretos na auto-estima”, revela.

Soluções necessárias

Diante dessa realidade, profissionais como Damasceno desempenham um papel crucial na intermediação entre pacientes e convênios médicos, garantindo que os procedimentos necessários sejam aprovados de forma rápida e eficiente. “Os pacientes devem ter acesso facilitado aos tratamentos que precisam para recuperar sua qualidade de vida”, declara.

Além do sofrimento individual dos pacientes, a recusa de cirurgias na coluna também tem um impacto significativo na sociedade como um todo. “A incapacidade de alguns pacientes em manter o emprego devido a dores crônicas resulta em perda de produtividade, dificultando a vida de trabalhadores e seus famílias”, lamenta.

Rompendo barreiras 

Segundo o especialista, a negativa por parte dos convênios médicos é um problema que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. “Ao reconhecer essa realidade e buscar soluções eficazes, podemos começar a romper barreiras e garantir que os pacientes recebam o tratamento adequado que precisam, proporcionando esperança e alívio para aqueles que lutam contra as dores na coluna e suas consequências”, relata.

Por outro lado, é crucial que os sistemas de saúde implementem políticas que garantam o acesso equitativo a cuidados de saúde de qualidade. “A saúde não pode ser um privilégio reservado apenas para alguns. Investir em soluções eficazes proporciona alívio e esperança para aqueles que enfrentam esses problemas”, finaliza.

Sobre Rodolfo Damasceno

Empreendedor com uma década de atuação na área de saúde, Rodolfo possui ampla expertise em estratégias de autorizações cirúrgicas junto às operadoras de saúde. Destaca-se por sua significativa contribuição, destravando mais de 1.000 processos cirúrgicos em um período de 10 anos e auxiliando médicos cirurgiões em diversas especializações.

Além de ser o criador do Método RD3x, um impulsionador para a qualidade de vida dos Médicos Cirurgiões que pode triplicar o número de cirurgias autorizadas, o especialista também criou o Método RD+, um processo de consultoria que auxilia diretamente os pacientes que buscam a realização de determinados procedimentos cirúrgicos.

Para mais informações, acesse o instagram.com/rodolfocdamasceno.

Share.